Select Page

JANELAS DE OPORTUNIDADES

MARILENA LINO DE ALMEIDA LAVORATO

12/11/2016

 As janelas de oportunidades que a dinâmica das mudanças atuais trazem para a sustentabilidade, não devem ser desperdiçadas.

Sabemos que em tempos turbulentos, as dificuldades aumentam e a confiança sofre abalos. Mas as janelas das oportunidades continuam existindo, mesmo em momentos desta natureza.

O que ocorre é que ninguém gosta de sair da zona de conforto, e a desconfiança sobre o futuro, paralisa as pessoas e as empresas.  Primeiro vem o período das lamentações e das justificativas, e depois de algum tempo, é que chega a lucidez e a praticidade para se mexer e caminhar. Vivemos a fase das inovações disruptivas e o darwinismo tecnológico é uma das realidades vivenciadas pelas empresas na chamada 4a revolução industrial

Qualquer semelhança com a teoria da evolução de Darwin não é mera ficção neste caso. “Não são os mais fortes que sobrevivem, e sim os que melhor se adaptam as mudanças”. Pois então, olhar a nossa volta e procurar pelas janelas de oportunidades neste novo cenário é a melhor aposta. Tudo muda, e nós temos que nos adaptar as mudanças, ou melhor, aproveitar as janelas de oportunidades que as mudanças trazem. Resistir (ou negar) as mudanças é perigoso.

A sustentabilidade (ou seus princípios e diretrizes) dentro deste contexto aparece em várias situações: na flexibilidade, resiliência, acuidade, criatividade, inteligência, integridade e ousadia. A somatória destas características prepara as pessoas e as empresas para escolhas mais assertivas que as levarão a novas conquistas.

Na estabilidade ou nos momentos turbulentos, a lógica da sustentabilidade é a melhor bussola

Gostamos da estabilidade, mas as turbulências podem ser benéficas nos pressionando para movimentos mais rápidos, porém, mais carentes da precisão e da lógica.

Profissionais e empresas que tem por premissa a melhoria contínua, por consequência terão a mudança implícita neste processo. A própria sustentabilidade tem na sua essência a mudança entendida como “transformação”.  Mudar o velho jeito de fazer negócio, de produzir e consumir, de viver em sociedade. Tudo tem o dinamismo da mudança, e ela (a mudança) é bem vinda quando traz consigo a lógica, a ética e as boas práticas de sustentabilidade. E por esta mudança é que devemos trabalhar.

Marilena Lino de Almeida Lavorato é ambientalista, Fundadora do Instituto MAIS de Cultura da Sustentabilidade, e idealizadora do Programa Benchmarking Brasil de certificação de boas práticas socioambientais