Select Page

Marilena Lavorato

Publicitária com especialização em marketing, negócios e gestão socioambiental. É a idealizadora do Programa Benchmarking Brasil (selo de sustentabilidade que certifica boas práticas desde 2003). Atualmente é Membro do Conselho Consultivo da ABRAPS (Associação Brasileira dos Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável) e da Câmara de Comércio Brasil Argentina. É colunista do Portal Vya Estelar, conferencista e ganhadora do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara Brasil Alemanha, categoria Humanidade, 1º lugar em 2013. É Presidente do Instituto MAIS que trabalha pela Cultura de Sustentabilidade, palestrante, editora de livros e revistas especializadas e autora de diversos artigos publicados.

TEMPO, ESCOLHAS E PRÁTICAS

A cada minuto que passa uma escolha é feita em nossa vida. O tempo entre tantos ativos, é de longe o mais valioso que dispomos. Ele é imponderável e cruel com quem não lhe dá a devida atenção e valor. O tempo e as escolhas são nossos companheiros inseparáveis. Na vida profissional, se estamos a frente de projetos temos a oportunidade de fazer escolhas que definirão a nossa capacidade de liderança. Se integrantes de uma equipe, teremos escolhas que determinarão a qualidade da convivência produtiva, fator primordial para o exito de qualquer projeto. E em ambos os casos, de novo, serão as escolhas que farão a diferença. SAIBA MAIS

UM PLANO PARA O MUNDO

O tempo não para, e o movimento da vida é constante intercalando desafios com oportunidades. Se existem problemas, também existem soluções. Esta é a lei natural das coisas. Que o mundo tem grandes problemas, não é novidade. Mas que tem um plano para combatê-los globalmente não é do conhecimento de todos. Estou falando dos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU, uma agenda com objetivos para combater grandes (e velhos) males da humanidade. A fome, a desigualdade, o preconceito, o desrespeito a natureza e vida, a corrupção, entre tantos outros. SAIBA MAIS

SUSTENTABILIDADE SELETIVA

Não se cogita mais a hipótese do isolamento nas sociedades sustentáveis.  Assim como o aquecimento é global, a responsabilidade de combatê-lo também o é.  Este e outros temas que impactam a vida das pessoas e do planeta estão cada dia mais presente na pauta de interesse comum. Desde de outubro de 2015 a  agenda ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) da ONU está sendo implementada com seus 17 objetivos para serem atingidos até 2030.  E, dentro deste contexto, as organizações desempenham papel fundamental. SAIBA MAIS

SUSTENTABILIDADE PERCEBIDA

Que as questões socioambientais ocupam espaço privilegiado na agenda global não é nenhuma novidade. A constatação do momento é o crescente interesse dos jovens por esta estas questões. E nem poderia ser de outra forma. São eles, os maiores impactados no futuro por tudo que for feito a este respeito, de bom ou do seu contrário. A cada dia, mais e mais pessoas se conscientizam não apenas das interferências ambientais e sociais nas suas vidas, como também do grau destas interferências. E, fazem conexões, pensam e concluem. Constroem posições estruturadas e fundamentadas, e assim, influenciam nas percepções coletivas. SAIBA MAIS

OS LADOS POLÍTICO E TÉCNICO DA SUSTENTABILIDADE

Que o conhecimento é nosso maior patrimônio é fato. Fazemos parte de uma teia social que aprende e ensina de forma contínua. Algumas sociedades são mais eficientes neste processo, outras nem tanto. Mas todas, sem exceção, produzem e compartilham conhecimento. O que acaba sendo determinante é a forma como este processo ocorre.  Algumas sociedades desenvolvem fórmulas de acesso e compartilhamento seletivo, outras optam por escala maiores. E estas escolhas irão interferir no resultado final.  É assim nas sociedades (mais desenvolvidas, e menos desenvolvidas). SAIBA MAIS

EXCELÊNCIA – A REGULARIDADE É O QUE CONTA

Não tem jeito, nossas práticas denunciam quem somos.  Pode não ser de imediato, mas pouco a pouco, a realidade vem a tona com uma clareza cristalina. Isto acontece com pessoas e com organizações. Nada e ninguém consegue sustentar um discurso sem práticas. E mais, será a regularidade das práticas que determinará o quão coerente somos com aquilo que propagamos ser. Em sustentabilidade, tal fato é recorrente. Empresas e pessoas não mostram a mesma intensidade (e regularidade) nas práticas quanto seus discursos. SAIBA MAIS

SUSTENTABILIDADE E INCONSCIENTE COLETIVO

A sustentabilidade é uma preocupação recente da humanidade ou sempre fez parte do seu inconsciente coletivo? Para responder esta questão devemos focar na essência do que seja sustentabilidade, como a entendemos e percebemos. De forma, simplificada é o equilíbrio dos pilares social, ambiental e econômico. Mas como isto se traduz na sua essência e no dia a dia dos humanos. Vamos simplificar as coisas e antes das definições acadêmicas e corporativas, começar pelo que sugere a palavra “sustentabilidade”, ou seja, algo que se renova de forma contínua, autônoma, e por longo tempo. SAIBA MAIS

SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS

A ciência é o pavimento que dá sustentação aos avanços da humanidade. E a consciência, a luz que ilumina este caminho dando suporte para seu melhor uso. A ciência em sí está acima do bem ou do mal. Ela é avanço, o pavimento que aumenta a extensão do caminho, mas, é a consciência que determina a sua direção. Em outras palavras, os avanços podem ser usados para bem ou para o mal. As conquistas científicas são ferramentas que dependem de mãos para transformar realidades de forma positiva. Sempre dependerão da consciência de quem as domina e as coloca em ação. SAIBA MAIS

NOSSO FUTURO COMUM

Sempre que chega o final de ano bate aquela sensação de finitude e uma neurose coletiva se instala em nosso cotidiano. Mil coisas para fazer que não cabem na agenda normal do mês. Agimos como se tivéssemos que fechar o ano com todas as atividades de fim de ano cumpridas. Um ritual que nos faz crer “credenciados” para o ano seguinte. Pode até ser benéfico emocionalmente, mas racionalmente não é assim que as coisas funcionam. A vida é um processo dinâmico onde construímos (ou desconstruímos) continuamente, e a virada do ano na prática, pouco significa. O próximo dia, assim como o próximo ano, depende do que fazemos diariamente. SAIBA MAIS

INOVAÇÕES DISRUPTIVAS

Que vivemos em uma época que as transformações ganham cada vez mais velocidade, é fato. E que a tecnologia é uma das grandes forças deste processo, também não é nenhuma novidade. Mas tão ou mais importante que a velocidade, é a direção. Chamo atenção para o direcionamento e potencialidades das tecnologias consideradas disruptivas, capazes de acelerar ainda mais este processo de transformação em direções surpreendentes. Primeiro precisamos entender porque as tecnologias disruptivas são disruptivas, ou seja, porque causam uma ruptura, um rompimento no modelo padrão de algo já estabelecido e usual. SAIBA MAIS

JANELAS DE OPORTUNIDADES

As janelas de oportunidades que a dinâmica das mudanças atuais trazem para a sustentabilidade, não devem ser desperdiçadas. Sabemos que em tempos turbulentos, as dificuldades aumentam e a confiança sofre abalos. Mas as janelas das oportunidades continuam existindo, mesmo em momentos desta natureza. O que ocorre é que ninguém gosta de sair da zona de conforto, e a desconfiança sobre o futuro, paralisa as pessoas e as empresas.  Primeiro vem o período das lamentações e das justificativas, e depois de algum tempo, é que chega a lucidez e a praticidade para se mexer e caminhar. SAIBA MAIS

SUSTENTABILIDADE É RESULTADO DA BOA GESTÃO

Escrever sobre sustentabilidade não é fácil, nem simples. Um tema amplo, cheio de interconexões, especificidades e desafios. Por isto resolvi, num momento digamos assim “criativo didático”, organizar a sustentabilidade em uma linha de pensamento simplificado. E já que temos que começar por alguma diretriz escolhi o mais conhecido do mundo corporativo que é “o triple botton line”. Conceito criado pelo sociólogo e consultor britânico John Elkington enxerga a sustentabilidade resultante do equilibro dos indicadores sociais, ambientais e econômicos da organização.  SAIBA MAIS

MAR VERMELHO E MAR AZUL DA SUSTENTABILIDADE

Se a sustentabilidade com seus fundamentos e diretrizes apontam soluções que representam uma ruptura com os velhos moldes de pensar e agir das organizações (e pessoas), então  temos que resgatar a estratégia do “mar vermelho” e “mar azul”  dos autores W. Chan Kim e Renée Mauborgne  do livro A Estratégia do Oceano Azul. No livro, os autores ilustram este pensamento da seguinte forma “mar vermelho” é onde a maioria das organizações se encontram brigando por um lugar ao sol, dividindo comida e espaço.  Já o “mar azul” é límpido e inexplorado, sem grandes perigos, com muita comida, espaço e a espera de seu desbravador . SAIBA MAIS

SUSTENTABILIDADE – PRESENTE E FUTURO

O termo sustentabilidade traz no seu DNA o futuro. Trabalha-se para não comprometer o futuro das próximas gerações, o futuro dos recursos naturais, o futuro da segurança social e econômica, o futuro do futuro.  E, o nosso futuro comum sempre será resultado das nossas práticas presentes. Talvez por isto, a sustentabilidade tenha muitos simpatizantes e poucos praticantes.  Todos sonham com um futuro melhor, mas poucos conseguem realiza-lo com o êxito que se espera. Entre a intenção e a realização há uma grande distância, e como diz o ditado, de boa intenção o inferno está cheio. SAIBA MAIS

SER SUSTENTÁVEL

DROPS sobre temas variados da sustentabilidade para popularização das questões socioambientais para diferentes públicos e regiões. O Portal Vya Estelar produz conteúdo voltado para o bem-estar integral do ser humano. Reúne colunistas e profissionais com saberes em vários áreas do conhecimento  e disponibiliza mais de 8 mil páginas online gratuitamente. Tem mais de 25 mil seguidores no Facebook e cerca de 2 milhões de page views por mês. Marilena Lavorato assina a coluna SER SUSTENTÁVEL escrevendo mini artigos sobre temas atuais da sustentabilidade SAIBA MAIS

Benchmarking Brasil: Exemplos que educam, práticas que transformam.

Leia Mais